NÃO PERCAM!

Acompanhem as postagens anteriores

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

O DESTINO DE LULINHA


Por Felipe Dótoli


De grande promessa corintiana, na metade dos anos 2000 (chegou a valer R$50 milhões), para desbravador de terras portuguesas. Esse é Lulinha, mais um eterno futuro craque.

Desde meados de 2004, o nome de Lulinha já era apontado como futuro craque. Fato que parecia consumado com atuações brilhantes nas categorias de base, sempre com espetáculos. Há aqueles que dizem que ele marcou cerca de 300 gols na base, há os que contestam.

As boas atuações não aconteciam apenas nas categorias de base do Corinthians. A jovem promessa desfilava bom futebol nas seleções de base. No Sul-Americano sub-17 de 2007, Lulinha
marcou 12 gols em 9 jogos, ficando muito à frente do segundo na artilharia, o compatriota Fábio, com 7 gols.

O ano de 2007 prometia para o garoto de apenas 16 anos (completaria 17 em Abril), mas a pressão por atuações fabulosas atrapalhou o jogador. O Corinthians foi rebaixado e Lulinha não mostrou o talento que vinha mostrando anteriormente.

Em 2008, mesmo titular do time por boa parte do ano, não se firmou no restante da temporada e perdeu a vaga para Morais, recém chegado do Vasco da Gama.

Com atuações fracas, em 2009 Lulinha foi emprestado para o pequeno Estoril da Segunda Divisão do Campeonato Português. Lá não fez muito, 4 gols em 26 jogos, mas rendeu um contrato com o também pequeno Olhanense da Primeira Divisão.

Chegou a cidade de Olhão com pompa de craque, mas até agora não mostrou futebol que mereça tal adjetivo. Apenas três gols em competições oficiais.

Essa é a história de mais um eterno futuro craque, que infelizmente não deu certo.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

OBRIGADO, FENÔMENO!


Por Felipe Dótoli


É difícil explicar com palavras o que Ronaldo Luíz Nazário de Lima representa para o futebol brasileiro e mundial. A palavra "fenômeno" diz um pouco do que ele foi dentro das quatro linhas.

Foram 18 anos de uma carreira de altos e baixos (muito mais altos). As lesões fizeram com que cada retorno de Ronaldo se tornasse espetacular, mostrando que, ele sim, sempre conseguiria vencer. Nunca na história deste esporte bretão, alguém teve tantas reviravoltas.

Nenhum escândalo, nenhuma chacota e nenhuma má atuação vai apagar o que ele fez pela seleção brasileira e por todos os clubes em que passou.

Não existem brasileiros, não importa o clube de coração, que não se emocionaram com a despedida do maior artilheiros das Copas do Mundo. Não existe nenhum brasileiro que não fique feliz com cada vitória do fenômeno.

Esse não é um "fenômeno" comum, é o fenômeno do Cruzeiro, do PSV, do Barcelona, da Internazionale, do Real Madrid, do Milan, do Corinthians e do mundo. O fenômeno que faz pessoas do mundo inteiro, não importa raça, religião ou partido político, se ajoelharem em cada gol por ele convertido.

É desse cara que eu vou ter orgulho de falar para os meus filhos e netos: "Eu vi o Ronaldo Fenômeno jogar!"

É para ele que eu deixo o meu agradecimento.

OBRIGADO, RONALDO FENÔMENO!