NÃO PERCAM!

Acompanhem as postagens anteriores

domingo, 25 de julho de 2010

UMA DESPEDIDA SENSACIONAL

Imagem: globoesporte.com


Por Felipe Dótoli


Em toda a minha vida, nunca havia presenciado uma despedida, de um técnico de futebol, tão emocionante como a vista na noite de hoje, no Pacaembu. A vitória sobre o Guarani sacramentou uma trajetória de sucesso à frente do Corinthians.

Ao termino da partida não faltou emoção. Mano deu uma volta olímpica e saldou a torcida, que retribuiu gritando seu nome com um entusiasmo semelhante a um gol. Os jogadores não ficaram de fora da festa, e também saldaram o comandante.

No comando do Corinthians, Mano ganhou três títulos em dois anos e meio de trabalho. O mais importante foi a conquista da Copa do Brasil, a terceira na história do clube. Mas o título de campeão Paulista invicto e a conquista da série B também tiveram grande importância.

Agora à frente da seleção brasileira, o gaúcho de Vênancio Aires terá mais um desafio, mas se depender de sua trajetória, o sucesso é garantido.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

MAIS QUE MERECIDO


Por Felipe Dótoli

Ser o melhor da Copa jogando ao lado de Iniesta e Xavi, ou de Sneijder e Robben seria fácil. Diego Forlán, 31 anos, foi eleito o melhor jogador da competição, mesmo sem estar na final, e com um time que não era nem favorito para passar da primeira fase.

O camisa 10 da seleção uruguaia fez um mundial surpreendente. Talvez, nem os próprios uruguaios acreditassem em tamanho sucesso de sua seleção e de seu maior jogador, levando a celeste à uma final após 40 anos.

O atacante do Atlético de Madrid obteve 23,4% dos votos, seguido de Sneijder com 21,8% e do atacante espanhol David Villa com 16,9%.

Como eu havia dito acima, seria muito fácil ter se destacado em um time com grandes jogadores, mas Forlán se destacou em um time limitado e com alguns bons jogadores, como Lugano e Suarez. Com cinco gols só não foi o artilheiro pelo critério de desempate, já que ele, Sneidjer, Villa e Müller marcaram o mesmo número de tentos. O alemão Müller levou o prêmio por ter mais passes para gols.