NÃO PERCAM!

Acompanhem as postagens anteriores

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

O NOVO PRESIDENTE DO PALMEIRAS

Imagem: gazetaesportiva.net


Por Felipe Dótoli


Como esperado, a oposição vence e Arnaldo Tirone é o novo presidente do Palmeiras.

Com 158 votos, Tirone, 60, bateu Paulo Nobre, 96 votos, e Salvador Hugo Palaia, com 21 votos. Uma diferença de votos que surpreendeu muitas pessoas, já que se imaginava uma vitória apertada do oposicionista. O novo presidente ocupará o cargo por dois anos, com direito a uma reeleição.

Tirone faz parte de uma base aliada composta por Mustafá Contursi, ex presidente palmeirense, criador da teoria do "bom e barato" e odiado por grande parte da torcida alvi verde. Mustafá foi presidente do Palmeiras de 93 até o começo de 2005, quando Afonso Della Monica assumiu o cargo.

O novo presidente palmeirense assume com a missão de "consertar" o clube depois de um mandato no mínimo problemático de Luiz Gonzaga Belluzzo.

ANÁLISE DA GESTÃO BELLUZZO

Eleito em 2009, Luiz Gonzaga Belluzzo assumiu como alguém que se diferenciaria dos cartolas padrão. Mas na prática não foi isso que se viu, o diferencial se tornou comum e o Palmeiras amarga uma crise, aparentemente, sem fim.

Belluzzo fez o que era possível para resgatar ídolos palmeirenses, mesmo que isso implicasse em estourar os cofres do clube. Acumulou uma divida de cerca de 150 milhões de reais, segundo o jornal "Folha de S. Paulo".

Três dos maiores técnicos do futebol brasileiro dirigiram o Palmeiras, Luxemburgo, Muricy Ramalho e agora Felipão, mas nada disso fez com que o time fosse campeão.

As derrotas dentro de campo batiam de frente com a situação política do clube. Guerra entre dirigentes, divisão da situação (Paulo Nobre e Hugo Palaia eram da situação), atraso no pagamento de salários e por último, acusações de jogadores contra dirigentes e vice e versa (casos de Valdívia e Waldemar Pescarmona).

Mas não foram só de desastres que viveu a administração de Belluzzo. Ele conseguiu colocar em prática o projeto da Arena Palestra, até então, só no papel. Segurou jogadores, no final do Campeonato Brasileiro de 2009, com propostas para irem para o exterior, mesmo que no final não tenha obtido resultado dentro de campo (o Palmeiras não se classificou nem para a Libertadores).

Com mais baixos do que altos, Luiz Gonzaga Belluzzo deixa o Palmeiras e Arnaldo Tirone terá uma missão difícil: resgatar a auto estima de um dos maiores clubes do país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário